INFORMAÇÃO PARA EXAME

FTA-ABS, ANTICORPOS IgM NO LIQUOR

Na sífilis primaria os teste VDRL e FTA-ABS (imunofluorescência indireta) positivam-se depois do cancro duro, com sensibilidade de 85%. Na sífilissecundária a sensibilidade da sorologia é de 99%. Na sífilis terciária, VDRL tem sensibilidade de 70% e FTA-ABS de 98%. VDRL: teste não treponêmico, utiliza como antígeno a cardiolipina que normalmente ocorre no soro em níveis baixos e apresenta-se elevado na sifilis. O VDRL é uma reação de floculação, apresentando alta sensibilidade e baixa especificidade. Torna-se positivo duas semanas após o cancro. Falso-negativos podem ocorrer na sífilis tardia. Entre 1 e 40% dos resultados de VDRL são falso-positivos: idosos, portadores de doenças auto-imunes, malária, mononucleose, brucelose, hanseníase, hepatites, portadores HIV, leptospirose, viciados em drogas, outras infecções bacterianas, vacinações e gravidez. Falso-positivos mostram títulos em geral ate 1:4, mas títulos maiores podem ser encontrados. Na avaliação do tratamento observa-se que na sífilis primária e secundaria, os títulos caem cerca de quatro vezes em três meses e oito vezes em seis meses, negativando-se em um a dois anos. A persistência de títulos elevados ou a não redução em quatro vezes dos títulos, após um ano de tratamento, pode indicar novo tratamento. Resultados positivos de VDRL no liquor são encontrados em 50% a 60% dos casos de neurosífilis, com especificidade em torno de 99%. Após tratamento, títulos caem entre três e seis meses, podendo demorar anos para negativarem. Linfocitose e aumento das proteínas são evidências de neurosífilis ativa. Testes treponêmicos: os testes de imunofluorescência (FTA-ABS) apresentam especificidade entre 96 e 99%. Menos de 1% dos indivíduos saudáveis tem FTA-ABS positivo, porém falso-positivos podem ocorrer em doenças auto-imunes, gravidez, hanseníase, malaria, mononucleose, leptospirose e infecções por outros treponemas. O imunoensaio enzimático tem estreita correlação com os resultados do FTA-ABS, apresentando como vantagem maior reprodutibilidade

Unidade Biolabor para realizar esse exame:

Sorocaba - Campolim, Sorocaba - Penha, Sorocaba - Vergueiro, Votorantim, Sorocaba - Zona Norte, Sorocaba - Zona Oeste, Sorocaba - Éden, Salto de Pirapora, Itu, Piedade

Preparação para o exame:

Preparos para a coleta do líquor (punção): agenda ENM DE QUINTA
- Não é necessário jejum, o paciente deve estar alimentado (alimentação leve).
- Trazer o pedido médico (ou guia), com a solicitação do exame, carimbado pelo médico solicitante no dia da coleta (indispensável).
- Trazer acompanhante e, preferencialmente, vir de carro para retornar para a residência sem realizar caminhadas e com o banco reclinado para repouso.
- Verificar, com o médico assistente, o uso de medicações anticoagulantes que possam contraindicar a punção liquórica. Se possível, trazer os exames laboratoriais e radiológicos (neuroimagem).

Orientações pós-coleta do líquor:
- Após a punção lombar, é recomendável permanecer em repouso absoluto por no mínimo duas horas e beber muito líquido. Nas primeiras 24 horas, evitar deambulação com o objetivo de prevenir a dor de cabeça (cefaleia pós-punção). Alguns pacientes (de acordo com idade, histórico de doenças e biotipo) apresentam maior risco de cefaleia e serão orientados, pelo médico assistente, a permanecer em repouso por 48 horas. Não é recomendável agendar viagens e outros compromissos nas primeiras 72 horas pós-coleta pelo risco da cefaleia pós-punção

OUTROS EXAMES

Selecione a primeira letra do exame abaixo ou utilize o campo para digitar o exame que procura