logo-biolabor

WhatsApp

(15) 99134-9888

Telefone

(15) 3233-8200

Bronquite

Bronquite é uma inflamação dos brônquios, canais que conduzem o ar inalado até os alvéolos pulmonares. Ela se instala quando os minúsculos cílios que revestem o interior dos brônquios param de eliminar o muco presente nas vias respiratórias. Esse acúmulo de secreção faz com que eles fiquem permanentemente inflamados e contraídos.

A bronquite pode ser aguda ou crônica. A diferença consiste na duração e agravamento das crises, que são mais curtas (uma ou duas semanas) na bronquite aguda, enquanto, na crônica, não desaparecem, pioram pela manhã e se manifestam por três meses ou mais durante pelo menos dois anos consecutivos.

Causas

A bronquite aguda é causada geralmente por vírus, embora, em alguns casos, possa ser resultado de uma infecção bacteriana. As crises também podem ser desencadeadas pelo contato com poluentes ambientais e químicos (poeira, inseticidas, tintas, ácaros, etc.). O cigarro é o principal responsável pelo agravamento da doença.

A bronquite crônica aumenta o risco de outras infecções respiratórias, particularmente o da pneumonia. A doença pode instalar-se como extensão da bronquite aguda, mas a a principal causa da doença é a fumaça do cigarro. Por ser uma enfermidade rara entre os não fumantes, é conhecida também por “tosse dos fumantes”.

Sintomas

Tanto na forma aguda quanto na crônica, a tosse é o principal sintoma da bronquite. Na bronquite aguda, ela pode ser seca ou produtiva. Na crônica, é sempre produtiva e a expectoração clara no início, pode tornar-se amarelada e espessa com a evolução da enfermidade. Falta de ar e chiado são outros sintomas da bronquite crônica.

Diagnóstico

Durante os primeiros dias da doença, pode ser difícil distinguir os sinais e sintomas de bronquite daquelas de um resfriado comum. Durante o exame físico, o médico irá usar um estetoscópio para ouvir atentamente a seus pulmões como você respira.

Seu médico poderá necessitar de excluir outras infecções pulmonares, como a pneumonia, que tem sintomas semelhantes aos da bronquite. Se o médico acha que você pode ter pneumonia, provavelmente você vai precisar de uma radiografia de tórax. Seu médico pode também ter uma amostra de muco para o teste.

Radiografia de tórax
A radiografia de tórax pode ajudar a determinar se você tem pneumonia ou outra condição que pode explicar sua tosse. Danos ao tecido brônquico, seja gradual ou progressiva não podem ser detectados por um raio-x do tórax. Contudo, os testes têm sido desenvolvidos para alterações precoces na função respiratória que pode levar à bronquite crônica e outras doenças respiratórias.

Teste de escarro
Os exames microbiológicos, como a cultura, bacteriscopia e outros verificam a presença de bactérias no escarro produzido quando você tosse. É útil para determinar se tem tosse ou outras doenças que poderiam ser tratadas com antibióticos.

Prova de função pulmonar
Durante um teste de função pulmonar, seu médico irá pedir que você tome uma respiração profunda e soprar em um aparelho chamado espirômetro, que mede a quantidade de ar de seus pulmões pode armazenar e como rapidamente você pode começar o ar de seus pulmões. A diminuição da capacidade pulmonar pode indicar um problema de saúde subjacente. Este teste verifica se há sinais de asma ou enfisema.

Tratamento

A bronquite aguda é uma doença autolimitada, que dura no máximo dez, quinze dias. Não existe tratamento específico para combater os episódios provocados por vírus. Boa hidratação, uso de vaporizadores, de analgésicos, de descongestionantes e evitar a exposição aos fatores de risco são recursos úteis para aliviar os sintomas e prevenir as crises.

A medida mais importante no tratamento da bronquite crônica é parar de fumar. Também é importante não permanecer em ambientes em que haja pessoas fumando. Medicamentos broncodilatadores, antibióticos, mucolíticos e anti-inflamatórios só devem ser utilizados sob orientação médica depois de uma avaliação criteriosa.

Portadores da bronquite crônica devem ser vacinados contra a gripe e contra a pneumonia.

Recomendações

* Reúna todas as forças e tente parar de fumar. Se não conseguir, tente fumar menos e evite locais onde haja pessoas fumando;

* Beba bastante água, pois ela ajuda a diluir as secreções brônquicas e facilita a expectoração;

* Lave as mãos com frequência;

* Utilize máscara ou outro equipamento protetor, se você está sujeito à inalação de elementos irritantes;

* Evite contato com pessoas resfriadas, gripadas ou com outras doenças transmissíveis por via respiratória;

* Não iniba a tosse produtiva;

* Evite permanecer muito tempo em ambientes com ar condicionado ou em locais com ar seco demais.

Compartilhe esta publicação:

Abrir conversa
Precisa de ajuda?
Olá,
Fale conosco no WhatsApp!