Deseja selecionar mais exames?
SIM NÃO

ANTICORPOS ANTI PLAQUETAS INDUZIDA POR HEPARINA

Informações

trombocitopenia é uma complicação reconhecida da terapia com heparina. Há dois tipos distintos de trombocitopenia induzida pela heparina (TIH): tipo I e tipo II. A TIH tipo I é a forma mais leve e freqüente, ocorrendo em aproximadamente 20 a 25% dos pacientes tratados com heparina. É caracterizada por uma trombocitopenia leve que geralmente inicia precocemente após o uso da heparina. Raramente a contagem de plaquetas atinge valores menores que 100 x 109/dl3. Não há eventos clínicos associados à TIH tipo I.
A TIH tipo II ocorre em 2 a 5% dos pacientes que recebem heparina, incluindo aqueles que recebem baixas doses da droga e, até mesmo, aqueles que recebem heparina apenas para manter permeável a via de catéteres venosos. É caracterizada por uma trombocitopenia mais severa, freqüentemente menor que 100 x 109 plaquetas/dl, que ocorre de quatro a quatorze dias após o início da administração de heparina. Entretanto, pode ocorrer antes desse período em pacientes que tenham sido expostos previamente à heparina nos últimos três meses. Dos pacientes que desenvolvem TIH tipo II, cerca de 10% desenvolverão eventos trombóticos.
Sempre que possível, o diagnóstico clínico de TIH tipo II deve ser confirmado através de testes laboratoriais capazes de detectar anticorpos heparina dependentes ou antígenos heparina/fator-4- plaquetário.
A presença de anticorpos heparina dependentes é detectada pelo imunoensaio ELISA. Ele detecta a ligação dos anticorpos aos complexos multimoleculares heparina/fator-4-plaquetário. É um teste de alta sensibilidade (91% a > 97%) e valor preditivo negativo (> 95%), ou seja, um resultado negativo sugere a ausência de TIH. Entretanto, devido à baixa especificidade (74 a 86%), o teste apresenta um valor preditivo positivo moderado (variando entre 50 a 93%), ou seja, muitos pacientes com um teste positivo não desenvolverão um quadro clínico de TIH ou não apresentam anticorpos heparina dependentes. Na avaliação de um resultado de ELISA positivo é importante considerar dois fatores: o índice de positividade e a probabilidade pré-teste de TIH. Um índice > 1.0 apresenta uma probabilidade maior de associação com a presença de anticorpos heparina dependentes, ao passo que resultados fracamente positivos (índice entre 0.5 e 1.0) na maioria dos pacientes são evidência contra a presença de TIH. Se o quadro clínico do paciente é consistente com TIH e não há outra explicação para a trombocitopenia, um resultado positivo deve ser considerado como suporte para o diagnóstico de TIH.



Biolabor 2017 - Todos os direitos reservados