Selo 28 anos

.........................................................................

Fale Conosco

.........................................................................

Atendimento online Biolabor

.........................................................................

Envie Sugestões e Críticas para o Biolabor

.........................................................................

Ultrassom 4D

.........................................................................

EXAMES


PROTEINA S LIVRE

DESCRIÇÃO

A proteina S é uma glicoproteina plasmatica vitamina K dependente sintetizada pelo figado, que atua como cofator da proteina C ativada na degradaçao proteolitica dos fatores V e VIII ativados. Cerca de 60% da proteina S plamatica total circula em complexos com a proteina ligadora C4b do complemento, enquanto o restante circula como proteina S livre. Somente a proteina S livre possui atividade anticoagulante. Deficiencia hereditaria da proteina S leva a um estado de hipercoagulabilidade com aumento do risco de trombose venosa. De acordo com os níveis plamaticos de proteina S antigeno total, proteina S antigeno livre e atividade da proteina S, a deficiencia congentita heterozigota de proteina S é classificada em tipo I (diminuição da concentração e atividade), tipo II (concentração normal e atividade diminuida) e tipo III (concentração de proteina S total normal com proteina S livre e funcional reduzidas). A avaliação inicial do paciente com suspeita de deficiencia congenita de proteina S pode ser feita com a dosagem da proteina S livre ou funcional. Porém, deve-se dar preferencia a dosagem da proteina S livre, visto que os testes funcionais podem sofrer interferencia de outras condiçoes como a presença de resistencia a proteina C ativada e anticoagulante lupico. Além disso, a deficiencia de proteina S do tipo II é muito rara. A dosagem da proteina S total é indicada para a caracterização do tipo de deficiencia em casos com diagnostico já confirmado da doença. Niveis de proteina S podem estar diminuidos nas doencas hepaticas, inflamatorias e durante tratamento com anticoagulante, estrogeno e gravidez. Idealmente, nao se deve dosar proteina S na vigencia de qualquer evento agudo (trombose, cirurgia, inflamação). Entretanto, valores normais de proteina s durante o evento agudo excluem deficiencia congenita. Se o paciente estiver em uso de anticoagulante oral, deve-se esperar pelo menos 30 dias após a interrupção do medicamento para se dosar a proteina S. Recem nascidos a termo ou prematuros sadios, podem apresentar niveis diminuidos, que devem atingir o nivel normal em 90 a 180 dias

 


Exames realizados no Biolabor

 

Selecione abaixo a letra inicial do exame que procura ou digite através do campo de busca acima.

Veja abaixo a relação de exames, seus detalhes, unidades disponíveis e agendamento